Home > Entrevistas | Fotógrafos > Entrevistamos Paulo Lang

Entrevistamos Paulo Lang

Cinofilia-BR     A p a i x o n a d o s   p o r   C ã e s

Entrevistando  Paulo Lang

Onde | São Paulo

Porquê | Um dos mais antigos fotógrafos de Cinofilia, que por longos anos fez um trabalho de fotografia documental, que muito a enriquece.

 

E n t r e v i s t a

Cinofilia-BR – Conte-nos sobre sua trajetória fotográfico/cinófila?

Paulo Lang – Fui criador da raça beagle de 1970 a 1979, quando comecei a fotografar algumas exposições em são Paulo do KCP. Na época o fotógrafo era o Domício Bezerra, mas como ele estava parando de fazer as exposições, passou-me o trabalho. Fiz fotos nos principais eventos durante aproximadamente 12 anos. Na época uma exposição tinha de 400 a 500 cães e não era fácil atender a todos. As fotos eram feitas logo após o julgamento das raças, grupos e finais de exposição, nesta sequência. Se fosse para deixar para fotografar tudo no final era impossível, sendo que numa exposição normal eu tirava em torno de 200 fotos.

Cinofilia-BR – Por quê escolheu ser fotógrafo?

Paulo Lang –Eu já gostava de fotografar por hobby, mas, ao comprar uma máquina profissional, resolvi fazer os eventos. Também fazia fotos industriais para grandes empresas, como Bardella, por exemplo.

Cinofilia-BR – Como foi seu início na fotografia cinófila?

Paulo Lang – Foi no final de 1979, quando Domício Bezerra, na época fotógrafo, resolveu parar.

Cinofilia-BR – Você ainda continua fazendo coberturas de eventos cinófilos?

Paulo Lang – Muito pouco. Este ano resolvi dar um tempo e me dedicar mais às minhas publicações, site, etc…, mas faço fotos às vezes de eventos não cinófilos, casamentos, e de alguns canis.

Cinofilia-BR – Conte-nos um pouco sobre suas revistas “TopDog” e “Catalodog”.  Por quê criar duas revistas e em que essa criação se fundamenta?

Paulo Lang – Nós criamos a TOPDOG em 1983, eu e mais 2 sócios (Celso e Marcelo Schneider), pois na época não havia publicações dirigidas a expositores, canis, etc. Existia uma ou outra revista, mas não se mantinham. Depois comprei a parte dos 2 sócios e fiquei sozinho na edição. Foi então que resolvi criar um site chamado “catalodog” e também um anuário com o mesmo nome. O nome vem da junção  de “cat” + “dog”, e por fim “catálogo”. Faço também edições especiais de raças e grupos há uns 8 anos aproximadamente, o que nos diferencia das outras publicações. Voltei agora com o anuário TOPDOG.

 

Cinofilia-BR – Quais os seus objetivos para o futuro?

Paulo Lang -Tenho alguns projetos com algumas publicações novas e diferenciadas mas tudo vai ser feito aos poucos.  Gosto muito de inventar e de fazer coisas novas.

Cinofilia-BR – Quais os equipamentos que você usava antes e os que usa agora?

Paulo Lang – usava no início uma Pentax e uma Nikon de filme, agora uso uma Canon digital.

Cinofilia-BR – Como foi esse seu processo de mudança – da tecnologia analógica para a digital?

Paulo Lang – Na verdade demorou um pouco mais, pois eu me dava muito bem com as manuais analógicas. Mas tudo tem de ser renovado e assim adquiri essa Canon digital.

Cinofilia-BR – Antes não tínhamos o Photoshop. Como era a sua técnica para conseguir fotos tão precisas, e sem manipulação? Você, de fato, conseguia ótimas fotografias de cães, sua estética sempre foi muito boa. Como você desenvolveu tal estética e a trouxe para a fotografia cinófila?

Paulo Lang – Eu nunca fiz curso de fotografia. Eu fazia muitas fotos para testar luz, enquadramento, etc… Era manipulação diária e vários testes, que me ajudavam muito. Na época não tinha como fazer correções antecipadas nas fotos. Somente depois de ampliadas você as poderia corrigir. Eu sou contra fazer qualquer tipo de correção. Mesmo agora eu me recuso a fazer, a menos que tenha de corrigir olho, ou alguma mancha que saiu por algum motivo, mas, arrumar cão, de forma nenhuma. Tento tirar de novo a foto.

Cinofilia-BR – Quais foram as suas publicações, no âmbito da editoração, desenvolvida por você para o Mercado Cinófilo?

Paulo Lang – Alguma coisa no “Catalodog”, na “Top Dog”, calendários, Livro do Gato e alguns catálogos de canis.

Cinofilia-BR – Há alguns anos, não tínhamos nos anúncios fotografias de cães, nesse caso tudo era basicamente texto. Quando entra a fotografia nos anúncios, isso muda todo o conceito, e o efeito publicitário é outro. Como você vê os anúncios/propagandas hoje em dia?

Paulo Lang – Já tínhamos fotos nos anúncios antigos, sim. Mas a maioria eram de exposições. Não se faziam fotos como agora, nos canis, etc… Acaba o anúncio ficando muito mais bonito e chamativo.

Cinofilia-BR – Como você vê as publicações atuais, e em que poderíamos melhorar?

Paulo Lang – Eu acho que existem muitas publicações para poucos cinofilos que realmente publicam algo. Elas, então, acabam sendo repetitivas em muitas coisas, por isso eu tento fazer publicações diferenciadas para isso não acontecer.

Cinofilia-BR – Antes tudo era obtido no laboratório e hoje o laboratório é o Photoshop. Muitos manipulam, outros, nem tanto, embora todos manipulem, ou mais ou menos. O que você poderia falar sobre manipulação de imagem na fotografia de Cinofilia, com efeito propaganda para venda de animal, e sobre a ética do proprietário, quando não avisa que está mostrando uma foto meramente ilustrativa do animal?

Paulo Lang – Como já falei, eu acho errado arrumar cão nas fotos. Acaba não sendo aquilo que realmente o cão é. Mas cada um é livre de fazer o que quer. Já existem vários fotógrafos que não arrumam mais o cão e escrevem na imagem sobre isto.

Cinofilia-BR – Sabendo que uma boa foto vende um animal, quanto cobrar por uma boa foto? Como você vê o mercado e essa relação (Clientes X Fotógrafos)? Até que ponto devemos valorizar o trabalho do fotógrafo profissional?

Paulo Lang – Aqui no Brasil, infelizmente, o bom fotógrafo ainda não é valorizado como deveria ser, pois na verdade foto de cão, principalmente para publicidade e arte, não é somente um clique. Uma das causas pelas quais parei de fazer fotos em exposição é a não valorização do fotógrafo no evento. E os que ainda estão no mercado sabem disto.

Cinofilia-BR – Quais são os fotógrafos responsáveis por sua entrada no mundo da fotografia?  Ou quem foi o grande responsável por sua entrada no mundo da Cinofilia?

Paulo Lang –Foi o Domício Bezerra, que era fotógrafo dos meus cães.

Cinofilia-BR – Cite uns momentos marcantes na sua carreira tanto como editor, como na qualidade de fotógrafo

Paulo Lang – Não existe nenhum momento marcante importante. Em tudo que faço, tento sempre fazer o melhor, para as pessoas gostarem de meu trabalho.

Cinofilia-BR – Como editor isso o levou a um mundo novo: o da edição de imagens e editoração de revistas. Até que ponto esse aprendizado o ajudou na fotografia?

Paulo Lang – Aprendi muita coisa e tento passar para outros, às vezes, quando um anúncio, por exemplo, não está bom, ou um cão não está bem na foto, etc… mas não depende só de mim; depende do cliente aceitar também.

Cinofilia-BR – O que o amigo gosta na cinofilia e o que o amigo não gosta na cinofilia?

Paulo Lang – Gosto das exposições bem feitas, em locais bons e que dê  boa infraestrutura, tanto ao expositor, como também a quem vende produtos; de rever clientes e amigos de outros Estados nesses eventos; não gosto de brigas; leva e trás, e, principalmente, quem copia teu trabalho, apesar de que, quem copia, é porque esta gostando.

Cinofilia-BR – Dê 5 dicas para melhorarmos ainda mais nossa cinofilia.

Paulo Lang – Exposições em locais melhores, com infraestrutura, alimentação, banheiros limpos, etc… Mais divulgação para o leigo, que pode vir a ser um cinófilo mais tarde, menos brigas, competição saudável, sim, mas sem brigas por besteira, publicações diferenciadas, as quais estou com projetos, e maior união com criadores da mesma raça. Tem raças aonde isto não está acontecendo e com isso destrói o desenvolvimento respectivo.

Cinofilia-BR – 5  a 10 dicas para quem está começando na fotografia animal?

Paulo Lang – Escolher bem o seu local de trabalho, aonde talvez não tenha outro profissional da mesma área, para não criar conflito entre profissionais, treinar bastante fora do serviço, inovar e entregar o serviço no prazo.

Cinofilia-BR – Gostaria de agradecer por sua atenção com o nosso meio de comunicação. Obrigado. Bruno Sant’Ana.

Paulo Lang – Quando precisar novamente é só pedir.  Agradeço.